Catamarã Turismo

Mogi das Cruzes – Mogilar – Itaipu

(11) 4699-1034 | (11) 99246-7030

mogilar@catamaratur.com.br

Blog

10 ago

O QUE MUDA NO NOVO PROTOCOLO DA MSC

Monitoramento, capacidade, testes e bufê: confira o que muda no novo protocolo da MSC

Os novos recursos foram projetados para ajudar os hóspedes a planejarem suas férias antes do cruzeiro e assim aproveitarem ao máximo seu tempo a bordo do Grandiosa

MSC Grandiosa será o principal navio desta retomada

Testes, capacidade reduzida, mudanças no bufê e uso obrigatório de máscaras. Estas são algumas das mudanças programadas pela MSC Cruzeiros para o retorno de suas operações. A companhia planeja a retomar os cruzeiros no Mediterrâneo a partir do próximo dia 15 de agosto, data que ainda depende de aprovação das autoridades italianas.

A retomada será com os navios MSC Magnífica e MSC Gradiosa, neste primeiro momento destinada apenas para hóspedes residentes no Espaço Schengen. Os roteiros de sete noites incluirão os principais destinos do Mediterrâneo, como Nápoles, Palermo, Roma e Genova.

“Estamos prontos para começar, mas, ao mesmo tempo, estamos esperando por uma aprovação final, principalmente do governo da Itália, que deve dar uma posição até o fim da semana”, explicou Gianni Onorato, CEO da MSC Cruzeiros, durante coletiva de imprensa virtual realizada nesta terça-feira (4), em que detalhou os novos protocolos da companhia.

O retorno da MSC marcará o início do novo protocolo de segurança da companhia, divulgado na última segunda-feira (3), que inclui controle de acesso, monitoramento dos contatos a bordo e alterações significativas da dinâmica das atividades do cruzeiro e destaca não só por medidas preventivas, mas também por planos de emergência em caso de contaminações a bordo.

Gianni Onorato, CEO da MSC Cruzeiros

Gianni Onorato, CEO da MSC Cruzeiros

Embarque e testes

Com anunciado previamente, a companhia realizará testes em todos os passageiros e tripulantes antes do embarque nos cruzeiros. Para os passageiros haverá procedimentos diferentes de acordo com a região de origem.

Passageiros de áreas consideradas de alto risco pelo Centro Europeu de Controle de Doenças terão que realizar o teste PCR molecular nas 72 horas que antecedem o embarque. As áreas de risco são identificadas com base em um índice de casos positivos por cada 100 mil habitantes.

Já nos terminais, todos os passageiros são testados novamente, inclusive os que realizaram o teste com antecedência. O tipo de teste, que pode variar entre teste rápido e PCR, será definido com base no histórico de cada passageiro. Passageiros que derem positivo no teste, ou apresentarem temperatura superior a 37,5º graus serão proibidos de embarcar.

“Isso será definido de acordo com um algoritmo criado por especialistas, que mede o nível de risco de acordo com idade, doenças pré-existentes e de acordo com as regiões de onde vêm. Equipamos os terminais de cruzeiro para realizar testes, com algumas estações médicas. Depois que completarem os testes, poderão seguir para o check-in e então esperarão entra 60 e 90 minutos para serem liberados. O objetivo é que todo hóspede só embarque depois de receber seu resultado”, destaca Onorato.

Já a tripulação seguirá um protocolo ainda mais rígido, com testes no país de origem e testes no terminal de embarque. Após estas duas etapas, os tripulantes ficaram confinados durante cinco dias no cruzeiro e após este período testados novamente. Os tripulantes também serão testados constantemente.

Monitoramento e plano de emergência

Além da testagem universal, um dos destaques do protocolo da MSC são o plano de emergência e o monitoramento de hóspedes. Para o monitoramento, será a usada a tecnologia das braceletes, que já fazem parte da rotina nos cruzeiros da companhia.

Além de realizar pagamentos e abrir as portas da cabine, o bracelete vai monitorar os contatos pessoais. A tecnologia permitirá monitorar com quem o hóspede teve contato por mais de 15 minutos em uma distância inferior a um metro. Todas as informações coletadas serão descartadas 14 dias após o cruzeiros.

Captura de Tela 2020-08-04 às 12.56.50

Sistema vai permitir monitorar contatos entre os passageiros a bordo

Esse rastreamento tornará possível identificar os contatos de um passageiros que tenha testado positivo durante ou após a realização do cruzeiro, evitando possíveis surtos a bordo. Em caso de contaminação, a MSC reservará 10% de suas cabines para passageiros que precisem ficar em isolamento, além de contar com a equipe médica disponível durante 24h.

Paradas e excursões

Após o início do cruzeiro, os passageiros só poderão desembarcar em excursões organizadas e supervisionadas pela MSC. “Esta é uma mudança muito importante na experiência do cliente em relação ao que tínhamos antes. Essas excursões serão incluídas no preço de alguns cruzeiros, de acordo com a experiência escolhida de cabine”, explica o CEO.

De acordo com a cabine escolhida, o hóspede terá até cinco excursões inclusas no preço do cruzeiro. Para as cabines de categorias mais baixas, para as quais não estão inclusas as excursões, haverá um pacote de três excursões pelo preço de 100 euros por pessoa.

Redução de capacidade e máscaras

Os cruzeiros navegarão com apenas 70% de sua capacidade. Pelo cálculo da companhia, o espaço por hóspede no navio passará de 7 para 10 metros quadrados nas áreas públicas. Atrações, como o teatro, terão sua capacidade reduzida em 50%, com isso haverá um aumento no número de shows realizados.

MSC Seaview contou com show musical de Tina Turner

Shows terão mais apresentações e metade da capacidade

Nas piscinas, será respeitada a distância de quatro metros quadrados por pessoa, o que significa que em uma piscina de 50 metros terá apenas 12 pessoas. “Óbvio que isso será supervisionado por nossa equipe para garantir que estas regras sejam respeitadas”, explica Onorato.

Nas áreas onde não poder ser respeitado o distanciamento social, o uso de máscaras será obrigatório, como em elevadores ou em situações similares. A proteção será fornecida nas cabines e também nas principais áreas.

Bufê

O serviço de bufê também será modificado. Os passageiros escolherão a comida, que será colocada nos pratos por um membro da tripulação. A medida evita o contato com a comida e também com talheres e pratos. Nas mesas será aplicado o distanciamento social, mas sem afetar grupos de pessoas que viajam juntas. “Ainda teremos mesas para seis ou oito pessoas”, ressalta. Já nos restaurantes haverá um QR Code nas mesas para que os hóspedes possam acessar o menu.

Com 3.350 m² o Market Place Buffet fica aberto dia e noite com diversas opções que vão desde a culinária tradicional a novas tendência

Mudança no bufê está entre as principais alterações

Seguro

Para os cruzeiros realizados neste pós-pandemia, a MSC Cruzeiros fornecerá um seguro opcional e específico para reembolso em casos de Covid-19. O custo será de 18 euros. O produto contará com cobertura que garante reembolso integral do cruzeiro e de despesas de transporte caso o passageiro apresente teste positivo e seja impedido de embarcar.

O seguro também garante cobertura de despesas médicas em casos positivos em até 14 dias após o desembarque e cobertura em caso de necessidade de isolamento durante o cruzeiro.

 

Fonte: https://www.mercadoeeventos.com.br/noticias/cruzeiros/monitoramento-capacidade-testes-e-bufe-confira-o-que-muda-no-novo-protocolo-da-msc/?l=&t=